Mudança

Para os amigos e amigas, uma breve explicação sobre a minha mudança de Mossoró para Natal.

A Auditora Fiscal da Receita Federal do Brasil, Carla Sueli Barbosa Moreira, tomará posse do cargo de Delegada da Receita Federal em Mossoró, nesta segunda-feira, 02 de Maio de 2011, às 16h, no auditório da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL).

Nomeada na sexta-feira (08/04), Carla Sueli é natural de Campina Grande/PB e veio substituir o ex-delegado Allan Patrick. Ela trabalhava na Assessoria de Planejamento da 1ª Região Fiscal, atuando diretamente no Gabinete da Superintendência em Brasília/DF e foi Avaliadora do Programa de Qualidade do Governo Federal.

A posse contará com a presença do Superintendente da RFB da 4ª Região Fiscal, Luiz Fernando Teixeira Nunes, da Assessora do Gabinete, Renata Maria Gasparini, do Presidente da CDL, Antonio Alexandrino Lima, do Secretário de Tributação Municipal, Antonio Ubiracy de Assunção, do Secretário Estadual de Tributação, José Airton da Silva, da Diretora Regional do Sindicato dos Contadores (SESCON), Cláudia Pedrosa Pinto Leite, do Delegado do Conselho Regional dos Contadores (CRC), José Nilson Rodrigues e do Gerente da Previdência Social, Francisco Osimar da Silva.

Com informações da Assessoria de Imprensa da Delegacia da Receita Federal de Mossoró-RN, via blogue do Tio Colorau.

Podcast: palestra de Lola em Mossoró sobre feminismo

Por Allan Patrick

Como antecipado no post anterior, tivemos a grata alegria de receber a blogueira, feminista e professora da Universidade Federal do Ceará, Lola Aronovich, do Escreva Lola Escreva, na nossa cidade de Mossoró. Lola abordou temas como discriminação de gênero, violência contra a mulher, diferenças no mercado de trabalho, aborto, machismo, tráfico de mulheres e abuso sexual, além de aproveitar a oportunidade para divulgar os vídeos da campanha Reacciona Ecuador.

Áudio

Áudio MP3 da palestra sobre feminismo de Lola (59 MB).

Atenção: o áudio está um pouco baixo. Se você tiver dificuldade alguma dificuldade para ouvi-lo no seu computador, teste instalar o VLC, um ótimo player de áudio que permite elevar o volume do som além do que a maiora dos players alcança. Funciona em Linux, BSD, Windows ou Mac OS X. O endereço para obtê-lo é videolan.org

A palestra também foi gravada em vídeo. Ainda estamos trabalhando na digitalização da gravação, que em breve será colocada no youtube. Deixaremos aqui um aviso quando isso ocorrer.

Apresentação

A versão em PDF da palestra também pode ser baixada aqui (obrigado a Lola pela autorização!): Palestra sobre feminismo – Lola – Mossoró.pdf (876 kb). As últimas transparências, que não são exibidas adequadamente em PDF, são os vídeos da campanha contra o machismo do Equador.

 

Lola, durante a palestra. Foto: Anna Paula Soares de Brito.

 

Palestra sobre feminismo de Lola em Mossoró. Público. Foto: Anna Paula Soares de Brito.

Palestra sobre feminismo de Lola em Mossoró. Foto: Anna Paula Soares de Brito

Mais fotos:

Daiany Dantas, professora da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, esteve presente ao evento e fez o seu registro em fotos, que podem ser conferidas no seu flickr.

Agradecimentos

Além de agradecer a Lola por encontrar um espaço em sua agenda para vir a Mossoró, registro aqui um agradecimento especial a todas as servidoras e servidores, além das estagiárias, que deram grande apoio à realização do evento. Obrigado Eliane Malaquias, Adonias, Raisça, Lenice, Rose e Anna Paula!

Veja também:

Lola em Mossoró.

Direito tributário e questões de gênero.

Mulheres: como conciliar carreira e filhos?

Lola em Mossoró

Por Allan Patrick

Lola Aronovich, Professora da Universidade Federal do Ceará, feminista e autora do conhecido blogue Escreva Lola Escreva, fará uma palestra sobre o Dia Internacional da Mulher em Mossoró. O local do evento é a sede da Delegacia da Receita Federal da cidade, localizada à Av. Alberto Maranhão, 1720, Centro. O ponto de referência para encontrar a Delegacia é a Igreja São Vicente; ambas estão situadas no mesmo cruzamento. A palestra ocorrerá na próxima quinta-feira, 24/02/2010, às 15h, e é aberta ao público em geral.

Escreva Lola Escreva, blogue de Lola Aronovich.

Inauguração de telecentro em Mossoró

Por Allan Patrick

Computadores montados com peças de máquinas caça-níqueis em operação no Telecentro. Foto: Walmir Alves. 12/Mar/2010.

No último dia 12 de março participei, como representante da instituição para a qual trabalho, da inauguração de um telecentro na Câmara Municipal de Mossoró. Os computadores utilizados no telecentro foram montados a partir do aproveitamento de peças de máquinas caça-níqueis apreendidas pela Receita Federal. Apenas no depósito de Natal-RN, há cerca de 800 dessas máquinas em processo de conversão.

O projeto é uma parceria entre a Receita Federal, que doa a máquina, a Federação das Câmaras Municipais do Rio Grande do Norte, que auxilia no acabamento final (gabinete, por exemplo) e as Câmaras Municipais, que cedem o espaço onde as máquinas são instaladas e a infra-estrutura apropriada (rede elétrica, conexão à internet etc.).

O projeto tem duas virtudes: a primeira é a inclusão a social, pois os telecentros beneficiados assumem o compromisso de atender gratuitamente à população. A segunda virtude é a redução do impacto ambiental, pela reutilização dos equipamentos, em sintonia com a regra dos três erres (reduzir, reutilizar, reciclar). Como vários armazéns da Receita Federal estão abarrotados com este tipo de equipamento, a destinação mais comum após a aplicação da pena de perdimento tem sido a destruição. Agora, estamos construindo esta alternativa.

Dito tudo isso, qual o destaque na imprensa sobre o evento? Um erro na placa de inauguração do local! O nome da prefeita estava no lugar do nome do homenageado. Gafe terrível, evidentemente, que deveria merecer destaque num box ao lado da matéria principal. Mas, infelizmente, ganhou as manchetes de primeira página, ofuscando o próprio evento. Provincianismo? Briga política entre os meios de comunicação vinculados aos grupos políticos da cidade? Talvez. Provavelmente. O fato é que, refletindo sobre a questão, podemos concluir que se algo semelhante tivesse ocorrido com o Presidente Lula, provavelmente a imprensa nacional (Estadão, Folha, O Globo), teria reagido tal como a imprensa local. Sintomático sobre o rumo que a imprensa dita de primeira linha tomou no país.

Grupos de direitos humanos defendem bandidos?

Por Allan Patrick

Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão já tem mais de 200 anos.

Tenho o costume de ler quase diariamente o blogue de um jornalista da cidade onde resido, Mossoró. Habitualmente, ele escreve com grande senso de profissionalismo. Entretanto, ao narrar uma tragédia (um crime de estupro), caiu no lugar comum de creditar a culpa pela violência nos “grupos de direitos humanos que defendem bandidos”. Claro, a acusação foi feita de modo genérico e indefinido, de modo a não permitir a identificação de que “grupo” seria esse. E o motivo é bem simples: esse “grupo” simplesmente não existe.

A organização de direitos humanos mais conhecida da cidade é o Centro Feminista 8 de Março (CF8). Justamente um grupo que defende o combate à violência de gênero, da qual as vítimas do crime narrado foram vítimas. Um grupo que defende, por exemplo, a Lei Maria da Penha, cuja publicação implicou na elevação das penas para violência contra a mulher.

Essa é uma contradição muito comum que vemos em parcela expressiva da opinião pública, potencializada por comunicadores mal informados.

Exemplo: uma das grandes ações de entidades de direitos humanos no Rio Grande do Norte, durante o ano de 2008, passou praticamente desapercebida pelos jornais, rádios e TVs locais: crianças libertadas pela fiscalização do trabalho de atividade laboral num matadouro em São Paulo do Potengi, Nova Cruz e João Câmara, onde haviam sido encontradas limpando fezes, descarnando bois e curtindo couro, sem nenhum equipamento de proteção.