Sobre

Decidi nomear este sítio de O Caderno de Patrick inspirado no exemplo de José Saramago. Inicialmente, meu objetivo era reunir e publicar matérias na área de Direito, explorando as possibilidades da Web 2.0. O tempo passou, eu dei um tempo na faculdade de direito e ainda estou à procura de uma nova missão.

É o óbvio, mas deve ser sempre ressaltado: todas as opiniões contidas nestas páginas são pessoais e representam a minha visão do mundo. Estou no exercício de meu direito constitucional de livre expressão. As opiniões aqui contidas não expressam qualquer relação com nenhum tipo de instituição.

Assumo como meus todos os erros de português nos textos aqui publicados e agradeço quem me contactar sugerindo correções.

A foto do cabeçalho

Imagem da peça de teatro Chuva de balas no País de Mossoró, promovida anualmente pela Prefeitura municipal em homenagem aos participantes da resistência à invasão da cidade pelo bando de Lampião. Para ver as fotos anteriormente utilizadas como cabeçalho, clique no título desta seção.

A licença

Todo o material deste caderno que for de minha autoria segue a licença Creative Commons Atribuição-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil, exceto quando especificado em contrário e nos conteúdos replicados de outras fontes.

Atribuição-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil

Atribuição-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil

O Autor

Allan Patrick é o meu nome. Mas todos me conhecem apenas por Patrick (favor pronunciar como se lê, em português). Sou potiguar, nascido e criado em Natal, de família seridoense. Atualmente resido e trabalho em Mossoró (também no Rio Grande do Norte). Não estranhe o meu nome, que é fruto da criatividade brasileira. Não tenho ascendência estrangeira que não remeta às caravelas.

Graduei-me em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Fui aluno, no ensino médio, do extinto curso de Eletrotécnica da Escola Técnica Federal do Rio Grande do Norte (ETFRN, atual IFRN).

Trabalhei no Banco do Brasil e, atualmente, estou no serviço público federal. Gosto do que faço, embora não atue mais na área de engenharia.

Já morei na Espanha, em Brasília, no Mato Grosso e em Pernambuco. Mas a esquina do continente é o meu lugar.

Nas horas vagas (?) gosto de viajar, ler, fotografar, ouvir música e assistir filmes. Também gosto de teatro. Sou um dos dez torcedores do Alecrim Futebol Clube. E também gosto do Flamengo. Enquanto a maioria das torcidas do mundo cantam hinos fascistas, a do Flamengo é uma das poucas que adota cânticos irônicos. Às vezes, até mesmo, auto-irônicos!(“Obina melhor que Eto'”, existe algo mais divertido para se cantar num estádio?)

Admiro, dentre outros, Ariano Suassuna, Noam Chomsky, Câmara Cascudo, Greg Palast, Zico, Robert Fisk, Patativa do Assaré, Amy Goodman, Luiz Gonzaga, Michael Moore, Antônio Nóbrega, Naomi Klein, Dom Pedro Casaldáliga, José Saramago, Carlos Latuff, amigos e familiares.

Contato

allan ponto patrick em gmail ponto com

Fatos aleatórios (ou nem tanto) sobre mim

1. Eu minimizo o uso do carro. Dou preferência a andar a pé, de bicicleta ou de transporte coletivo.

2. Acredito que outro mundo é possível.

3. Reduzir, reutilizar, reciclar.

4. Gosto de viajar. De preferência por conta própria ou com amigos. Excursões em último caso.

5. Quando viajo, gosto de andar a pé pelas cidades para conhecer o cotidiano das pessoas.

6. Eu gosto de música. Ainda compro CD.

7. Eu gosto de filmes. Ainda compro DVDs.

8. Compro mais livros do que posso ler.

9. Sou socialdemocrata. À moda antiga. Na tradição de Willy Brandt, Olof Palme ou Roosevelt.

10. Pelo amor de Deus, não me falem em terceira via, Tony Blair, Felipe González et caterva.

11. Sou um nordestino militante.

12. Não vejo nada de errado em ser politicamente correto.

13. De fato, ser politicamente correto é, para mim, sinônimo de ser gentil.

14. Já fui fanático por Olimpíadas e Copa do Mundo.

15. Hoje em dia, não tenho muita alegria em ver esportes olímpicos que dependem exclusivamente do desempenho físico do atleta. A impressão que tenho é que todos estão dopados, infelizmente.

16. Eu sou um grande fã de ciclismo de estrada. Adoro ver o Tour de France.

17. Gosto da NBA também.

18. Bem que eu gostaria de acompanhar o campeonato brasileiro de futebol. Mas não sou assinante de NET/SKY nem pretendo ser.

19. Tenho vários defeitos.

20. Um dos maiores: não tenho grande apego à poesia.

21. Acredito na máxima franciscana de que é melhor dar do que receber.

22. Precisamos de coragem para fazer o que é possível.

23. Serenidade para aceitar o impossível.

24. E sabedoria para discernir entre os dois.

25. Mas, como diz o provérbio, “não sabendo que era impossível, foi lá e fez”.

26. Nada deve parecer natural, nada deve parecer impossível de mudar.

27. …

6 thoughts on “Sobre

  1. Engraçado,através do artigo Marcco,eu cheguei ao Blog e quando vi a foto,me remeti aos meus tempos de estagiária no Parque das Duna e lembre de você,ia sempre com sua irmã e sobrinho.Engraçado é que por uns instantes eu não sabia de onde eu te conhecia.
    Parabéns pelo Blog.
    Aline Domingos

  2. Caro Patrick, aproveito a oportunidade do reencontro virtual para agradecer o livro de Greg Palast que me deixou de presente. Boas lembranças das suas provocações políticas.

    • Caro Saulo, seja muito bem vindo. Pena que as obras mais recentes de Palast não tenham tido tradução ao português 🙁 . Mas aproveito para agradecê-lo por ter me apresentado ao grande Zygmunt Bauman. Um grande abraço e sucesso!

  3. Muito bom!Não sabia que Palme era real. E gostei muito de ver informações sobre você. Abraços de Florianópolis!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *