O paraíso destruído

Coleção L&PM Pocket, 2007. Autor: Frei Bartolomé de las Casas.

Apresentação: O genocídio de ontem e hoje

Por Eduardo Bueno

O paraíso destruído. L&PM Pocket.

O paraíso destruído. L&PM Pocket.

“De 1514 até o ano em que morreu, em 1566, com noventa e dois anos de idade, las Casas levou adiante sua luta cada vez mais radical. Ardente e incansável, de temperamento combativo e turbulento, suas atitudes agitaram a metrópole e a colônia. Fez dezenas de denúncias, protestos, pedidos, exigindo que os indígenas fossem encarados como os verdadeiros ‘poseedores y proprietários de aquellos reinos y tierras’. Na prática, conseguiu duas vitórias que sempre considerou insuficientes: as Novas Leis promulgadas em 1542, que praticamente encerraram o sistema das ‘encomiendas’, e as doutrinas jurídicas expostas na Universidade de Salamanca pelo grande reformador da teologia Francisco de Vitória, que lhe garantiram a vitória legal na explosiva polêmica contra Juan Gines de Sepulveda, partidário da ‘servidão natural’ dos índios da América.” Págs. 15 e 16

“Se conseguiu alguns aliados e adeptos em sua campanha de mais de cinquenta anos a favor dos direitos dos índios, las Casas teve que enfrentar incontáveis inimigos. Dois dos mais destacados: o historiador oficial da conquista, Gonzalo Fernández de Oviedo, autor da famosa História General y Natural de las Indias e Juan Gines Sepulveda, também historiador e partidário da teoria aristotélica da ‘servidão natural’ dos povos ‘inferiores’. Com ele las Casas travou uma polêmica de tal dimensão que exigiu a interferência da maior autoridade moral do Ocidente: a Igreja Católica. Uma polêmica que terminou no banco dos tribunais, em Valladolid, na Espanha. Os grandes debates judiciais prolongaram-se por três anos, de 1547 a 1550 – em certa ocasião, las Casas depôs durante cinco dias ininterruptos – e terminaram com a ampla vantagem da tese libertária de las Casas, já que o teólogo tomista e titular da catédra de direito da Universidade de Salamanca, Francisco de Vitória, considerado ‘uma das mentes mais extraordinariamente dotadas de sua época’ e coordenador dos debates, concluiu que os índios não poderiam ser escravizados e eram os autênticos possuidores das terras descobertas.” Págs. 22 e 23

[Nota: dessa polêmica ficou “definido” que os índios nativos da América eram seres humanos, por isso não podiam ser escravizados].

13 thoughts on “O paraíso destruído

  1. O livro de Las Casas deveria ter uma tiragem muito maior para que as pessoas pudessem ter acesso e conhecer um pouco da nossa verdadeira história.
    muito bom o teu material. parabéns

    • Caro Klefferson, obrigado pelo comentário, muito pertinente. De minha parte, assim que terminei de ler o livro, doei meu exemplar para a biblioteca municipal e deixei este registro aqui na internet. Leitura recomendada a todos. Um abraço e apareça sempre por aqui.

  2. A vida e obras de Las Casas é muita interessante. Estou estudando a colonização da América e creio que ele foi o uma das figuras mais importante da época!Adorei estudar las Casas..*-*

  3. Frei Bartolomé de Las Casas é um dos maiores heróis de Nuestra América.
    Seus escritos devem ser amplamente divulgados através do ensino regular. Trata-se de uma leitura obrigatória para que possamos compreendernos a nós mesmos, enquanto seres históricos e culturais.
    Atualmente, com grande alegria, vemos países como o Equador e a Bolívia refazendo o caminho e aprovando Constituições avançadas e modernas, com base no pensamento e na filosofia indígena milenares.
    Se atravessamos o nosso país em todas as direções, vamos encontrando traços indígenas nos rostos, nos costume, nas tradições.
    O pensamento e as convicções de Frei Bartolomé hão de fortalecer sempre a nossa identidade indígena e nos ajudarão a recuperá-la no que tem de sábia e “científica” em relação à natureza e aos seres humanos.
    Parabéns pelo seu blog, Allan!
    Vc. só cuida de pensares úteis e relevantes.
    Maria Lucia

  4. Ficaria muito feliz se me fala-se como Frei Bartolomeu comprovou que os indios sao seres humanos, preciso disso para um trabalho muito importante

    PS: Otimo trabalho, amei

    • Obrigado pelo comentário, Teco. Outro livro que também me lembrou bastante este foi Veias abertas da América Latina, de Eduardo Galeano.

  5. muito bom espero tirar uma boa nota pq e essa consulta qui vou precisar na pro obg mesmo!!!!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *