20% dos deslocamentos na Grande Natal são feitos de bicicleta

Fonte: Diário de Natal, Domingo, 1º de fevereiro de 2009.

Haverá estímulo para o transporte de massa

Percentual de viagens de bicicleta em Natal (20%) está no mesmo patamar de países avançados, como a Holanda (28%).

Para os estudiosos, o Plano de Mobilidade deve levar em consideração o cidadão que precisa do transporte público para viagens curtas, sendo importante para a economia interna da sua região e para a diminuição da pressão social sobre o sistema.

O estudo de Origem e Destino que baseia o Plano de Mobilidade Urbana de Natal identificou que mais de dois milhões de viagens são realizadas diariamente, sendo que 67% desse número compreendem viagens internas e 13% são de ligações entre Natal e a Grande Natal, com destaque para os percursos Parnamirim-Natal (76.180 viagens/dia), Natal-Parnamirim (72.969) e São Gonçalo-Natal (39.640).

O estudo mostra ainda que as Zonas Sul e Leste usam mais o transporte coletivo e veículos individuais enquanto as zonas Norte e Oeste são as que mais usam veículos não motorizados, como bicicletas, além de serem as que mais concentram viagens internas. 72% dos deslocamentos feitos na Zona Norte são internos, enquanto que na Zona Leste esse índice é de 63%.

O estudo também mostra que o número de usuários de bicicleta em Natal é maior que em outras cidades, beirando os 20%, concentrados nessas duas regiões, o que colocaria a  capital entre as cinco no Brasil que mais utilizam esse veículo – dado que surpreendeu os estudiosos.

A pesquisa identificou que na Zona Norte mais de 235 mil viagens são feitas diariamente à pé ou em veículos não motorizados. ‘‘Aqui está o verdadeiro nó, onde essas pessoas estão andando? Como está a situação das calçadas, a acessibilidade para esse deslocamento?’’, questiona Enilson. Desse total, 32.093 viagens teriam destinos para mais de 2 quilômetros de distância. O plano sugere um sistema de transporte público intra-zonas com tarifas menores, o chamado transporte vicinal, para atender a esse público potencial.

Além disso, hoje cerca de 45 mil viagens diárias partem e terminam na própria Zona Norte. De acordo com o estudo, o roteiro das linhas de transporte naquela área precisa mudar, já que ‘‘o sistema não foi preparado para esse tipo de uso, o que o torna desconfortável e caro’’, acrescenta Enilson.

A matéria completa pode ser lida aqui (PDF, 700kb).

Veja também:

O Ciclista que calculava.

As calçadas de Londres.

4 thoughts on “20% dos deslocamentos na Grande Natal são feitos de bicicleta

  1. Boas notícias. Esse é o tipo de deslocamento que deveria ser incentivado e apoiado, e não bastam boas calçadas e ciclovias pra isso, mas já é um começo importante.
    Abs

    • Bem-vinda e obrigado pelo comentário pertinente, Ana Paula. A questão do transporte é uma das que mais afeta a qualidade vida das pessoas nas grandes cidades. E ainda vem sendo muito mal conduzida. Mesmo com pesquisas como esta, os ciclistas são totalmente ignorados pelas políticas públicas da cidade.

  2. Porque não estimular o uso das bicicletas? Nesse texto destacam muito o transporte coletivo, porém não é a única alternativa para resolver a questão de mobilidade em Natal. Claro, aqui o transporte é PRIVADO, então está em jogo os interesses dos empresários desse ramo, por isso entendo esse enfoque. Mas a bicicleta aliada ao transporte coletivo é a melhor saída. A Bike é o veículo do futuro – Porque tentam ocultar essa realidade,? É fato! Estaremos adiando o que é preciso fazer, senão agora num futuro caótico. Aí passarei ao lado e direi: vá de bike, é mais rápido, melhor para saúde, no stress. Essa prefeita está com nada!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *