A Lei de Aloysio Biondi

Aloysio Biondi, jornalista econômico como poucos, infelizmente falecido no ano 2000, costumava dizer que “a verdade, no jornalismo econômico, surge sempre no último parágrafo”. A esta máxima eu me refiro como a Lei de Aloysio Biondi. O mais interessante é que esta lei não se aplica apenas à imprensa brasileira, como veremos neste exemplo do Financial Times, traduzido para o português pelo Valor Econômico:

Impasse entre Chávez e petroleiras atrasa exploração de megacampo
Valor Econômico – 01/09/2009
VENEZUELA
Governo não se entende com empresas sobre marco regulatório e investimentos
Benedict Mander, Financial Times, de Caracas

O futuro de um dos maiores leilões de exploração petróleo no mundo está ameaçado, à medida que perdura o impasse entre o governo socialista da Venezuela e as companhias de petróleo em torno dos termos para desenvolver uma estratégica área de produção petrolífera. (grifo nosso)

(seguem vários parágrafos de reclamações contra o governo venezuelano por suas constantes alterações no marco regulatório do petróleo e pelo aumento na carga tributária do setor)

“O projeto pode exigir investimento sério, com certeza, porém, considerando que não existe risco de exploração e que este poderá ser o último projeto desta grandeza remanescente no mundo, não podemos nos permitir o luxo de não nos envolvermos“. (último parágrafo da matéria, grifo nosso)

Ou seja, os atores envolvidos, as companhias petrolíferas, usam e abusam da  manchete e do corpo da matéria para fazer seu lóbi pela redução na carga tributária e nos encargos para a exploração de petróleo na Venezuela. Mas, no final, a reportagem revela a realidade: não há oportunidade de negócio melhor do que esta no resto do mundo.

Textos relacionados:

Por que a Rússia “ajudou” a Islândia?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *