20% dos deslocamentos na Grande Natal são feitos de bicicleta

Fonte: Diário de Natal, Domingo, 1º de fevereiro de 2009.

Haverá estímulo para o transporte de massa

Percentual de viagens de bicicleta em Natal (20%) está no mesmo patamar de países avançados, como a Holanda (28%).

Para os estudiosos, o Plano de Mobilidade deve levar em consideração o cidadão que precisa do transporte público para viagens curtas, sendo importante para a economia interna da sua região e para a diminuição da pressão social sobre o sistema.

O estudo de Origem e Destino que baseia o Plano de Mobilidade Urbana de Natal identificou que mais de dois milhões de viagens são realizadas diariamente, sendo que 67% desse número compreendem viagens internas e 13% são de ligações entre Natal e a Grande Natal, com destaque para os percursos Parnamirim-Natal (76.180 viagens/dia), Natal-Parnamirim (72.969) e São Gonçalo-Natal (39.640).

O estudo mostra ainda que as Zonas Sul e Leste usam mais o transporte coletivo e veículos individuais enquanto as zonas Norte e Oeste são as que mais usam veículos não motorizados, como bicicletas, além de serem as que mais concentram viagens internas. 72% dos deslocamentos feitos na Zona Norte são internos, enquanto que na Zona Leste esse índice é de 63%.

O estudo também mostra que o número de usuários de bicicleta em Natal é maior que em outras cidades, beirando os 20%, concentrados nessas duas regiões, o que colocaria a  capital entre as cinco no Brasil que mais utilizam esse veículo – dado que surpreendeu os estudiosos.

A pesquisa identificou que na Zona Norte mais de 235 mil viagens são feitas diariamente à pé ou em veículos não motorizados. ‘‘Aqui está o verdadeiro nó, onde essas pessoas estão andando? Como está a situação das calçadas, a acessibilidade para esse deslocamento?’’, questiona Enilson. Desse total, 32.093 viagens teriam destinos para mais de 2 quilômetros de distância. O plano sugere um sistema de transporte público intra-zonas com tarifas menores, o chamado transporte vicinal, para atender a esse público potencial.

Além disso, hoje cerca de 45 mil viagens diárias partem e terminam na própria Zona Norte. De acordo com o estudo, o roteiro das linhas de transporte naquela área precisa mudar, já que ‘‘o sistema não foi preparado para esse tipo de uso, o que o torna desconfortável e caro’’, acrescenta Enilson.

A matéria completa pode ser lida aqui (PDF, 700kb).

Veja também:

O Ciclista que calculava.

As calçadas de Londres.

Progressividade fiscal em multas de trânsito

Fonte: Blogue XTreme. A tradução é cortesia deste Caderno.

Ir a mais de 100 km/h na Suíça: multa de 202 mil euros

Segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Ferrari Testarossa. O valor da multa seria suficiente para comprar um modelo novo.

Segundo a BBC, um milionário suíço teve a infeliz ideia de percorrer as ruas do povoado São Galo a 137 km/h com uma Ferrari Testarossa. A brincadeira custou-lhe 202.415,00 euros.

Para o cálculo da multa, nem é tão relevante a velocidade do infrator, porque na Suíça o valor da infração varia na proporção do patrimônio do condutor. No caso do suíço, cujo nome não foi revelado, sua fortuna está avaliada em quase 16 milhões de euros. É proprietário de uma generosa propriedade rural e cinco automóveis de luxo, entre eles o mítico automóvel italiano.

Esta multa se tornou a mais elevada da história do povoado germano-suíço de São Galo, dobrando o valor da anterior, em que o condutor de um Porsche havia superado em 57 km/h o limite de velocidade.

O valor da multa teria sido suficiente para adquirir uma Ferrari Testarossa nova no último ano em foi fabricada, 1996, quando era vendida por 220 mil dólares.

Por que diminuir a velocidade das vias?

Fonte: + Vá de Bike +

A menina do vídeo diz:

Se você me atropela a 40 milhas por hora (64 km/h), há cerca de 80% de chances que eu morra.

Se você me atropelar a 30 milhas por hora (48 km/h), há cerca de 80% de chances que eu sobreviva.

No final, é exibida a frase:

São 30 milhas por hora por uma boa razão.

Aqui em São Paulo, os motoristas acreditam que o limite de velocidade é só uma desculpa para multar. Quantas vezes não ouvimos frases como essas:

Se não tivesse tanta gente lerda, o trânsito fluiria melhor

Pra quê 60 km/h nessa avenida? Dá muito bem pra andar a 90 …

Até ali atrás a velocidade é 70. Aqui nessa curva diminui pra 60, só pra gente ser multado no radar ali na frente!

Mostre esse vídeo para essas pessoas. E explique que todos têm o direito de atravessar a rua em qualquer lugar sempre que não houver uma travessia a uma distância de menos de 50 metros (art. 69 do Código de Trânsito Brasileiro), porque talvez você escute que ali não é lugar de atravessar.

A cidade deveria priorizar as pessoas, a vida. Não o fluxo cada vez mais rápido de automóveis.

(a dica desta entrada veio do ótimo sítio chileno Arriba ‘e la Chancha, dica do XpK)

Saiba mais:

– Carros são o “acidente” que mais mata crianças em São Paulo – Os carros são a maior causa direta de mortalidade infantil por acidente no estado de São Paulo.

Carro mata, use com cuidado – Videos de uma campanha australiana que todo motorista deveria assistir.

Ao pedestre, com carinho – Como os carros se preparam para causar menos danos em caso de atropelamento.

Repressão preventiva – CET protegendo os carros dos pedestres, quando deveria fazer o contrário.

A culpa é do pedestre – Matéria do jornal Bom Dia Brasil coloca a culpa dos atropelamentos nos pedestres.

Textos relacionados:

Fluidez no trânsito é sinônimo de insegurança.

O Ciclista que calculava

Fonte: Worldwatch Institute (2006). Tradução: Blogue do Transporte Ativo.

carro-e-bicicleta

Bicicleta faz bem ao trânsito e à saúde.

Quantidade de bicicletas para cada grupo de 1.000 pessoas (1990)
Nos Estados Unidos……385
Na Alemanha…………..588
Nos Países Baixos….…1.000

Percentual de viagens urbanas feitas em bicicleta (1995)
nos Estados Unidos..…1%
na Alemanha………….12%
nos Países Baixos…….28%

Percentual dos adultos que sofrem de obesidade (2003)
nos Estados Unidos….30,6%
na Alemanha…………..12,9%
nos Países Baixos……..10,0%

Percentual da despesa total com saúde em relação ao PIB (2002)
nos Estados Unidos…14,6%
na Alemanha………….10,9%
nos Países Baixos………8,8%

Quantidade de pessoas que podem se deslocar no espaço equivalente a um metro de largura, em 1 hora:
Automóvel……..170
Bicicleta………1.500
Ônibus………..2.700
Pedestre……….3.600
Trem/metrô……4.000

Energia gasta por passageiro/milha (em calorias):
Automóvel….1.860
Ônibus…………920
Trem……………885
Pedestre……….100
Bicicleta…………35

Veja também:

20% dos deslocamentos na Grande Natal são feitos de bicicleta.