A melhor alternativa ao Google Reader

Por Allan Patrick

Google_Reader_logo

Logo do Google Reader.

O Google Reader é um agregador de feeds lançado em outubro de 2005. Desde então tenho sido um usuário viciado nessa ferramenta, por sua extrema praticidade.

O que ela tem de bom? Simples, digamos que você gosta de uns 5 ou 6 blogues ou páginas de notícias na internet. Como você fica sabendo se eles publicaram alguma novidade? Visita diariamente cada um deles? Trabalhoso, não? Como seria mais fácil se de alguma forma você fosse avisado sempre que fosse publicado um artigo novo! Aí é onde entra o agregador de feeds. Ele se encarrega de checar se houve alguma atualização em cada uma das páginas cadastradas. Ao invés de visitar diariamente 5, 6, 15 ou 20 páginas, você só precisa ir a uma única – a do agregador – para ficar bem informado.

É um salto de produtividade tão grande, que se você fizer leitura dinâmica dos titulares e cabeçalhos, logo vai perceber que é possível dar conta simultaneamente de uma boa centena de blogues gastando pouco mais de 20 minutos diários.

Ao longo dos anos, algumas características de redes sociais foram sendo acrescentadas ao Reader, sendo possível seguir e ter seguidores e comentar notícias e debater sobre elas. Além de permitir descobrir novas páginas na internet pela indicação de outras pessoas, o uso do Reader era turbinado, pois ao invés de ler todos os titulares dos blogues que você assinava, agora era possível utilizar a seleção feita pelos seus próprios amigos e ler apenas aqueles que eles já tinham achado interessante e compartilhado.

Em outubro de 2011 veio o primeiro baque: para “simplificar” o Reader e estimular os usuários a utilizarem a pífia e anêmica rede social Google Plus, a gerência da empresa decidiu cortar todas as funcionalidades sociais e de compartilhamento interno do produto.

Não é surpresa então que ele tenha sido continuamente abandonado por quem o utilizava, o que levou ao anúncio pela empresa de que em julho próximo deixará de existir por estar em trajetória declinante.

A alternativa

The Old Reader pretende resgatar o espírito de rede social do antigo Google Reader.

The Old Reader pretende resgatar o espírito de rede social do antigo Google Reader.

Dentre as várias opções que havia na internet para substituí-lo, preferi o The Old Reader por uma razão simples: a equipe de desenvolvimento tenta emular tanto quanto possível as característica originais do Google Reader que o fizeram ser tão interessante até 2011.

Como migrar

O primeiro passo para a transição é acessar o Google Takeout (no endereço http://www.google.com/takeout/).

Tela de login do Google Takeout. As tarjas vermelhas são para proteger a privacidade de quem gentilmente nos cedeu as telas para ilustrar este post.

Tela de login do Google Takeout. As tarjas vermelhas são para proteger a privacidade de quem gentilmente nos cedeu as telas para ilustrar este post.

Na tela seguinte, clique em choose services (escolher serviços) pra escolher apenas o Google Reader e não ter que perder um bom tempo esperando o sistema fazer uma cópia de segurança de todas as ferramentas que você utiliza no Google.

Clique em choose services para fazer uma cópia apenas do Google Reader.

Clique em choose services para fazer uma cópia apenas do Google Reader.

Selecionado Google Reader, clique em Create Archive (criar arquivo), aguarde até o arquivo de exportação (takeout) ser preparado. Quando ficar pronto, simplesmente clique em Download (baixar arquivo). Provavelmente será um arquivo .ZIP (compactado). Extraia os arquivos contidos nele numa pasta.

A tela inicial do The Old Reader (http://theoldreader.com) é esta:

Tela inicial do The Old Reader.

Tela inicial do The Old Reader.

Você não precisa criar uma nova conta com senha para usá-lo, desde que já esteja registrado no Google (quem usa o Reader ou GMail, por exemplo) ou no Facebook. Logo que você abrir uma conta, sua primeira visão será esta:

Clique em importar para dar continuidade ao procedimento de migração.

Clique em importar para dar continuidade ao procedimento de migração.

Clicando em importar, nós podemos dar prosseguimento à migração que estamos executando. O navegador vai abrir uma tela e você vai escolher a pasta/diretório onde descompactou o arquivo gerado pelo Takeout. Aí escolha o arquivo subscriptions.xml:

Selecione o arquivo subscriptions.xml para a importação.

Selecione o arquivo subscriptions.xml para a importação.

Como o afluxo de pessoas tem sido grande, leva um tempo até processar (principalmente se você assinar muitos blogues) todas as suas assinaturas:

Aguarde alguns dias até a importação de suas assinaturas ser concluída.

Aguarde alguns dias até a importação de suas assinaturas ser concluída

No mais, se você utiliza costumeiramente o Google Reader, será muito fácil adaptar-se ao The Old Reader, pois a interface é muito semelhante.