Estado mínimo e vazamento de petróleo nos Estados Unidos

Por José Ribas

Mancha do vazamento de petróleo na Deepwater Horizon vista do espaço.

O que esse desastre mostra, pelo menos para mim, é a desmitificação da corrupção no Brasil. Por muito tempo “institutos sérios” davam conta que o Brasil era (ou é ainda para eles) o país mais corrupto do mundo. Com a quebradeira americana capitaneada pelos corruptos de Wall Street, com os Madoff, os Lehman Brothers da vida e agora a comissão de segurança e exploração de petróleo americanos, com a BP e a enxurada de favores aos políticos e funcionários de alto escalão do governo americano, chego a conclusão que a corrupção nos Estados Unidos está para a corrupção brasileira como no governo do FHC: administrada por um engavetador, sem escândalo, sem corrupção, sem investigação, sem sujeira.

Ficou fácil ver que, apesar da gente saber que esse vazamento de óleo no Golfo do México ser a maior tragédia ambiental da história, uma tragédia maior estava em curso, mãe de todas as tragédias, que é a tragédia da corrupção orquestrada pela ganância capitalista mundial.

O tapete mundial aos poucos está sendo levantado.

Comentário pescado no blogue do Luís Nassif: O vazamento de petróleo nos Estados Unidos.

4 thoughts on “Estado mínimo e vazamento de petróleo nos Estados Unidos

  1. Incrível a cobertura midiática. Como bem anotado, sob outro ângulo, se este desastre fosse aqui no Brasil, ou pior, na Venezuela, ou fosse um desastre natural a mídia estaria nos fazendo ‘refletir’ sobre ele.

  2. “Como colher o “Petróleo” derramado…

    Uma Sugestão! Sempre tive uma teoria, mas não sei pra quem contar… Todas as aves q são atingidas por ele, ficam impregnadas, ao ponto de nem poder voar.
    Todas as aves produzem uma espécie de “gordura” que protege suas penas e as ajudam a flutuar na água.

    Segundo Dr. Atkins, gordura remove gordura. (atrai como um “imã”).
    Imagine um “edredom gigantesco” feito com duas redes de pesca (como as de sardinha), e com penas “não higienizadas”, de frangos e outras aves dos incontáveis abatedouros das granjas de todo o mundo, no recheio (em lugar do Acrilon), sem ser compactada, e nem muito grossa? Pois é, acredito q o petróleo grudaria nas penas da mesma forma q com as aves q são vitimadas.

    Assisti Globo Mar, pude ver o quanto as rede são resistentes…
    A sugestão pode na funcionar para o fundo do mar, mas acho que o que já está na superfície ,seria possível. O ideal seria fazer um “Teste” colocando penas em um saco de tela(como os de laranjas) e colocar em cima da grande quantidade de óleo já existente às margens das praias atingidas.
    Aguardo comentário.

    Atenciosamente,
    Ines Brasilia Regis Pires

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *